quinta-feira, 17 de março de 2011

Atuação da Quiropraxia nos Esportes

Atualmente, uma das áreas que mais crescem dentro da Quiropraxia (Fisioterapia Quiropráxica) é a área desportiva.
Muitos atletas de corrida, ciclismo, basquete, ginástica, atletismo, entre outros esportes de impacto, se forem adolescentes ou pré-adolescentes, podem apresentar diminuição no crescimento ósseo.Se o atleta for de meia idade, normalmente sente um princípio do desgaste cartilaginoso, principalmente em regiões do joelho e tornozelo. Já se o atleta continua praticando esportes de impacto na terceira idade, inevitavelmente sentirá desgaste ósseo (joelhos, tornozelos ou fêmur) e dos discos intervertebrais (principalmente na coluna lombar).

"UM AJUSTE QUIROPRÁXICO PODE SER A DIFERENÇA
ENTRE A PRIMEIRA E A SEGUNDA COLOCAÇÃO"

Momentos antes do jogo ou treino:
Reduzir as disfunções biomecânicas através de ajustes articulares bem como liberação de tecidos moles é o foco central do quiropraxista desportivo, permitindo a saudável função do sistema neuro-músculo-esquelético e prevenindo assim outras lesões (REDWOOD,2003). A Quiropraxia no Esporte (Desportiva) vem contribuindo para um tratamento conservador, enfatizando a relação entre o sistema músculo-esquelético do corpo e o sistema nervoso, favorecendo bastante o desempenho dos atletas. O Quiropraxista que atua no esporte tem como objetivo:
• Alinhar as articulações;
• Aumentar a flexibilidade e a mobilidade;
• Melhorar a resposta muscular e articular;
• Prevenir lesões;
• Recuperar (reabilitar) as lesões esportivas;


Na quiropraxia desportiva, são priorizadas as articulações das extremidades sejam membros superiores ou inferiores. A liberdade e amplitude de movimento nas articulações dos ombros para nadadores e sacroilíacas, joelhos e dos tornozelos para corredores pode representar a diferença entre o sucesso e o fracasso para um atleta amador ou profissional (CHAPMAN-SMITH, 2001).
Na Europa, a manipulação da coluna vertebral e de extremidades e relatada como essencial nos treinamentos e competições de atletas. Por isso, muitos clubes de futebol na Europa apresentam no seu quadro de funcionários quiropraxistas atendendo os jogadores.
A primeira equipe olímpica de medicina esportiva dos EUA a incluir um quiropraxista foi das Olimpíadas de Inverno de 1980. Comumente, quiropraxistas integram o programa olímpico americano, residindo em centros de treinamento e são avaliados pela amplitude e profundidade de sua competência clínica e pela sua habilidade de trabalhar em cooperativismo com uma equipe multidisciplinar (REDWOOD, 2003). Naquele país, os Quiropraxia já faz parte da maioria dos esportes individuais e coletivos, fazendo parte dos programas tanto na prevenção quanto de recuperação de lesões esportivas. (MOOTZ, MCCARTHY, 1999).

Nos dois últimos jogos olímpicos, os EUA incluíram no seu time de cinco médicos, um quiropraxista. Nas olimpíadas de Atlanta, a maior parte dos times olímpicos internacionais já estava utilizando quiropraxistas, assim como em competições profissionais de golfe, surfe, voleibol, jiu-jitsu, fisiculturismo, rodeios, inclusive na competição mais árdua do mundo: The Ironman, em Kona Hawaii, quiropraxistas estão trabalhando em benefício dos atletas.

Aos poucos no Brasil os próprios atletas estão manifestando a importância de um quiropraxista em seus clubes, seja acompanhando seus treinos ou na preparação para auxiliar em sua performance.

Se você é atleta ou pratica esportes regularmente marque sua consulta e mantenha o hábito de ajustar-se. Mas se você não é atleta profissional, mas bate uma bolinha aos finais de semana, a importância de se ter um cuidado com a saúde de suas articulações é ainda maior.

Conheça a Quiropraxia e adote a prevenção como estilo de vida!

Nenhum comentário:

Postar um comentário